Comboio chega finalmente ao Luau. Estação e ponte ferroviária inauguradas

Luau

Numa cerimónia que contou com a presença de milhares de populares, angolanos e congoleses, foi inaugurada pelo presidente José Eduardo dos Santos a estação ferroviária do Luau (na imagem em maquete). A cerimónia ocorreu no mesmo dia em que se celebrou também a chegada àquela vila do “comboio inaugural” que partira na terça-feira do Lobito, e que completou finalmente o último troço da linha.

Paralelamente, foi também inaugurada a ponte ferroviária transfronteiriça ligando o Luau à República Democrática do Congo, ponte essa que permitirá a interligação com a rede daquele país, e também com a rede ferroviária que agora chega ao Moxico com a Zâmbia.

A inauguração da Estação do Luau põe fim a um período de 40 anos de paralisação da linha do comboio nesta região e vem permitir que o município do Luau possa “Vir a ser uma gigantesca porta de entrada para a integração regional de África e aproximar a zona Austral do continente, como uma área de comércio livre, impulsionando as trocas comerciais, reforçando as relações e sustentando as bases para que Angola seja uma potência continental”, afirma a agência Angop.

Para além de José Eduardo dos Santos, a cerimónia inaugural da Estação e da Ponte Transfronteiriça Ferroviária do Luau contou com a presença dos presidentes da República da Zâmbia, Edgar Chagwa Lungu e da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, países que partilham a fronteira terrestre na parte leste com o Moxico, República de Angola.

Após a conclusão pela parte angolana do extenso ramal ferroviário do Projecto Corredor do Lobito, aguarda-se para breve o início das obras nos ramais por parte destes dois países. Para tal, segundo declarações prestadas pelo Ministro angolano dos Transportes, Augusto Tomás: “Foram já rubricados vários acordos de cooperação com as entidades destes dois países africanos membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC)”.

De acordo com Augusto Tomás, citado pela Angop: “O programa de reabilitação e modernização dos Caminhos de Ferro de Angola (CFA) representou ao longo da última década, entre 2005 e 2015, um investimento próximo dos 3,5 biliões de dólares americanos e deste valor a parcela correspondente ao Caminho de Ferro de Benguela é, aproximadamente, de 1,9 biliões de dólares”.

O processo de reabilitação e modernização do ramal do Caminho-de-Ferro de Angola incluiu a instalação de uma rede de fibra óptica e de equipamentos de sinalização e segurança em toda a extensão das linhas, bem assim a construção de pontes, pontões, passagens de nível e valas de drenagem.

De igual modo, para o asseguramento e comodidade dos passageiros foram construídas de raiz 151 estações ferroviárias, de entre estações especiais, de primeira, segunda, terceira classes e apeadeiros, incluindo a Estação de primeira classe do Luau, bem como a aquisição de 42 locomotivas, 248 carruagens de várias tipologias e 263 vagões.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s