Brasil alarga apoios a empresários para investimento em Angola

Brazil Confederations Cup Protests

Os empresários brasileiros que queiram efectuar investimentos em Angola beneficiarão, a partir do próximo ano, de apoios e incentivos reforçados no âmbito do PROEX, o Programa de Financiamento às Exportações do Governo do Brasil. A novidade foi revelada em São Paulo pelo presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Angola, Simão Grilo dos Santos.

O PROEX é o principal instrumento público de apoio às exportações brasileiras de bens e serviços, actuando o Banco do Brasil em exclusividade como agente financeiro responsável pela sua gestão.

De acordo com Grilo dos Santos, o PROEX vai ter a sua dotação financeira aumentada já em 2015, com a finalidade de apoiar os empresários brasileiros que pretendam investir em Angola com os seus produtos.  O interesse dos empresários brasileiros em operar no mercado angolano, tendo em conta o seu franco crescimento, é elevado. Agricultura, pecuária e construção civil são os sectores com maior interesse para o investimento brasileiro.

Segundo as declarações do presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Angola, para esse interesse revelado pelos empresários brasileiros contrbui também o facto de o Brasil ser “Um dos maiores produtores e exportadores de carne do mundo, dispondo igualmente de grandes grupos empresariais de construção civil”.

Em Julho de 2015 deverá ter lugar em Luanda o próximo encontro entre empresários dos dois países, com o objectivo de analisar as novas possibilidades de negócio e constituir parcerias estratégicas entre os interessados dos dois lados do Atlântico.

Advertisement

Novas moedas de 20 kwanzas podem surgir ainda este ano

kwanzas

“O Banco Nacional de Angola (BNA) pondera lançar, ainda este ano, novas moedas metálicas no valor de 20 kwanzas, para dar resposta à crescente procura de moedas no mercado nacional”, avançou esta segunda-feira a agência noticiosa Angop.

A notícia tem como base as declarações hoje prestadas pelo Administrador do BNA para o meio circulante, Ramos da Cruz, à Rádio Nacional de Angola. Na ocasião, o responsável do BNA afirmou ser  “Um sinal de que as moedas foram bem recebidas pelo mercado, facto que pode ser confirmado pela elevada quantidade de moedas já introduzidas sem que a procura tenha deixado de aumentar”.

Com efeito, nos últimos 22 meses foram postas em circulação cerca de 200 milhões de moedas e, ainda assim, a procura tem-se mantido crescente por parte do mercado, “o que representa um indicador de que a moeda foi aceite perfeitamente”, salientou Ramos da Cruz.

O administrador do Banco Nacional de Angola lançou também um apelo aos agentes económicos no sentido de não efectuarem o entesouramento da moeda mas antes colocá~la em circulação, através da sua utilização para transacções, pagamentos e trocos.

Responsável das Nações Unidas destaca progresso de Angola nos direitos humanos

agudelo

O coordenador residente interino do sistema das Nações Unidas, Hernando Agudelo, considera que “Angola tem registado progressos consideráveis em matéria de observação e respeito dos pressupostos fundamentais dos direitos humanos e das liberdades e garantias dos cidadãos.

Hernando Agudelo discursou em Luanda na sessão de abertura da Conferência Nacional sobre Direitos Humanos, e referiu que o progresso verificado “é fruto do esforço do Executivo no alcance dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio, ilustrado pela reforma do sector justiça, pela realização do processo do registo civil, dos programas de habitação social, do aumento significativo das crianças no ensino formal, entre outras”.

De acordo com o divulgado pela comunicação social presente no evento, o responsável das Nações Unidas considera que Angola tem igualmente correspondido em relação às obrigações de emitir relatórios periódicos sobre a implementação dos seus compromissos neste campo. Para além disso, salientou que “A nível internacional e regional podemos realçar a realização, em Luanda, da Sessão da Comissão Africana dos Direitos Humanos de África e a eleição de Angola a membro do Conselho de Segurança das Nações Unidas para os próximos dois anos”.

Como desafios para o futuro, Agudela aponta a conformidade das leis e práticas com os tratados internacionais ratificados, assim como o reforço dos mecanismos nacionais de promoção  e protecção dos direitos humanos com a melhoria dos indicadores de desenvolvimento humano.

Para já, todos os sinais demonstram “o compromisso e potencial de Angola em assumir um papel preponderante na promoção e garantia dos direitos humanos a nível regional e internacional”. (Fonte e foto: Angop)

Angola fixa meta de 2 milhões de barris por dia em 2015.

barril

Angola encontra-se “determinada” em atingir uma produção de dois milhões de barris de petróleo por dia, entre 2015 e 2016. A declaração foi proferida em Luanda por Paulino Jerónimo, Administrador da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola para as áreas da Exploração e Produção.

De acordo com o revelado pelo mesmo responsável, esta quantidade é a meta a atingir tal como foi definida pelo Conselho de Administração, meta essa que deverá vir a ser mantida “durante pelo menos cinco anos”.

Paulino Jerónimo falava à margem da cerimónia de inauguração da unidade flutuante de armazenamento, produção e descarga de petróleo do grupo francês Total. Na ocasião, o presidente da Comissão Executiva da Total, Patrick Pouyanné, garantiu aos jornalistas presentes que o grupo francês irá manter o investimento previsto em Angola “apesar do contexto desfavorável e de volatilidade do preço do barril do petróleo no mercado internacional”.

Segundo o noticiado, Patrick Pouyanné afirmou ainda que “O custo das operações da companhia em Angola está calculado para mínimos de 30 dólares, o que permite dar continuidade aos investimentos e ao processo de angolanização em curso na indústria petrolífera”.

Recorde-se que, com a queda recente do preço do barril de petróleo, a indústria tem vindo a confrontar-se com o desafio da optimização dos custos de  desenvolvimento e das operações dos diferentes projectos existentes.

Unitel fornece sistema de comunicações grátis para as emergências médicas

inema

A Unitel, operadora móvel líder em Angola, iniciou a implementação de um Sistema de Comunicações em Rede gratuitas para os Serviços Nacionais de Emergências Médicas, segundo informações enviadas à imprensa.

Este sistema integrado de comunicações resulta de uma parceria com o Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA) e “vai permitir a ligação em rede de todos os agentes integrados neste Serviço, que vão agora poder comunicar entre si a custo zero. A iniciativa pretende optimizar a actuação dos serviços médicos de emergência em Angola e visa contribuir para uma melhor prestação de cuidados de saúde junto das populações”.

Numa primeira fase do projecto, a Unitel vai disponibilizar uma central telefónica fixa com três extensões, 250 telemóveis e 250 cartões SIM, os quais serão distribuídos pelas diversas unidades hospitalares e ambulâncias das zonas abrangidas pelos serviços. A operadora compromete-se ainda a assumir os custos de todas as comunicações realizadas dentro da rede pelos diversos intervenientes.

Tony Dolton, Director Geral da Unitel, afirmou que “O ímpeto em retribuir e, dessa forma, contribuir para uma melhoria das condições de vida das populações, faz parte da génese da Unitel. Temo-nos empenhado em conseguir soluções em que possamos aliar as nossas mais-valias enquanto empresa de telecomunicações, pelo que esta parceria com o INEMA é um grande motivo de orgulho para todos nós. Contamos que este projecto represente um contributo significativo na melhoria da prestação de cuidados de saúde de emergência em Angola”.

O acordo estabelecido entre as duas entidades garante ainda um acréscimo de 250 terminais e cartões disponibilizados pela Unitel, com base na previsão de alargamento deste serviço a outras zonas do país durante o ano de 2015.

A implementação deste Sistema de Comunicações em Rede surge no âmbito do compromisso da Unitel para com as comunidades, no qual a optimização dos Serviços de Emergências Médicas, enquanto serviço de utilidade pública, foi considerada uma prioridade pela operadora, de forma a garantir uma prestação de cuidados de saúde eficaz.

O desenvolvimento de iniciativas e acções que permitam a promoção da saúde das populações, bem como de soluções que tenham impacto na prevenção dos cuidados médicos são um dos pilares essenciais da política de Responsabilidade Social da Unitel, inserindo-se no compromisso da operadora em contribuir para o desenvolvimento de Angola.

Cerveja Cuca inclui Portugal na edição dedicada à Arte angolana

Cerveja_Cuca

A cerveja Cuca associou-se à Arte angolana pelo segundo ano consecutivo, numa iniciativa que incluiu a criação de quatro rótulos especiais pelos artisitas plásticos angolanos Binelde Hyrcan, Francisco Vidal, Hildebrando de Melo e Januário Jano.

A nova campanha da marca foi anunciada no Palmeiras Clube em Luanda, num evento sob o mote “Orgulho em ser Angolano, Orgulho em ser Cuca”, que integrou um desfile com as roupas das estilistas Rose Palhares, Zholla Thomas e Felícia Mahatmas e ainda a exibição do documentário Muxima Angola e uma exposição dos trabalhos dos quatro artistas convidados para redecorar as embalagens das cervejas.

De acordo com uma notícia do semanário ‘Expresso’: “Parte da edição dos cinco milhões de garrafas personalizadas da Cuca Mini Saca Fácil (cerca de 43 mil unidades), estará à venda também em Portugal nos cerca de 700 pontos de venda da cerveja angolana em bares e restaurantes, essencialmente na Grande Lisboa e na península de Setúbal”, regiões portuguesas onde se concentra a maioria da comunidade angolana.

A este propósito, o jornal cita as declarações de Luis Correia, director-geral comercial e de marketing da Cuca: “A Cuca está cada vez mais próxima de todas as actividades que envolvam a comunidade angolana em Portugal. Através da parceria com a Embaixada de Angola numa vertente cultural, participamos e estamos presentes em todas as acções de divulgação cultural”, afirmou o responsável da marca, que recordou também o patrocínio ao piloto Paulo Sá Silva e ao festival de cinema ‘Olhares de Angola’, bem como a presença em concertos de Paulo Flores, Yuri da Cunha e, no próximo dia 8 de Dezembro, no concerto de Anselmo Ralph no pavilhão Meo Arena em Lisboa.